sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

EROS BIONDINI

EROS BIONDINI
Padrinho: ROBSON DOS SANTOS

5 comentários:

Anônimo disse...

Fui da comissão organizadora do forum tecnico de segurança pública quando o referido deputado ainda estadual estava na assembleia de Minas. Neste forum falamos muito da dependencia química e outras drogras que acometiam a sociedade na população dependente como os grupos vulnaráveis. O deputado não apareceu em nenhuma discussão que foram 3 dias de evento dentro da ALMG, e é de se espantar que o mote da campanha dele tb era a questão das drogas. Uma pessoa me disse que ele estava focado na campanha mas q raio de campanha é essa se ele nem está presente onde é a bandeira dele. Contou só com os expectadores do programa de auditorio dele que nunca falou de participação popular e com o pedido de votos da renovação carismática? O foda é que religião dá voto e nem sempre é pra quem esteja presente. E mais, ele foi deputado estadual de primeiro mandato e algumas pessoas diziam q ele só sabe cantar. como é isso?

Engº Rodrigo Peixoto disse...

Este "anônimo" está postando seus comentários para todos os deputados. Se ele realmente está indignado com alguma coisa, porque não se identifica para então ter a resposta ou a defesa do deputado.
Não estou aqui para defender ninguém, mas um preceito básico da justiça é o direito de defesa ou de resposta. E como se defender ou responder se não souber quem é seu acusador?
Identifique-se, "Anônimo".

Kátia Ferraz Ferreira disse...

Oh meu caríssimo engenheiro, nas vezes que postei houve o erro na página que não colocou o meu perfil e como eu já havia clicado para postar não houve como retornar. Meu nome é Kátia e este post fui eu quem coloquei. Veja que em outros apareceu meu nome, não há necessidade de me esconder e mesmo pq o objetivo do site é responder as abordagens mas já que isso o incomoda tanto nos outros posts que deram erro e nao houve minha identificação farei a ressalta de quais fui eu quem postou ok?
Mas ainda quero a resposta. ;)

Kátia Ferraz Ferreira disse...

Saiu hoje na CBN que o deputado Eros Biondini recebia um "presente" de quase 4 mil reais do cunhado, não sei se foi para campanha ou outta situação que beneficiasse o referido parlamentar. Só que este cunhado já é falecido. ;/

Gisele Jorge disse...

Diante da suspeita, me vi na obrigação de sair em sua defesa porque sei exatamente onde está o equívoco da reportagem.

Pois bem, a Lei 9504/07, que estabelece normas para as eleições, dispõe, em seu art. 23, que:


Art. 23. A partir do registro dos comitês financeiros, pessoas físicas poderão fazer doações em dinheiro ou estimáveis em dinheiro para campanhas eleitorais, obedecido o disposto nesta lei. (grifei).

E, no art. 17, que trata sobre a prestação de contas:


Art. 17. Os candidatos deverão apresentar, em sua prestação de contas, ainda que sem movimentação financeira, as seguintes peças:
I – Ficha de Qualificação do Candidato (Anexo I).
II – Demonstração dos Recibos Eleitorais Recebidos (Anexo IV);
III – Demonstração dos Recursos Arrecadados (Anexo VI), acompanhada
de Notas Explicativas, incluindo descrição, quantidade, valor unitário e
avaliação das doações estimáveis em dinheiro pelos preços praticados
no mercado, com indicação da origem da avaliação e o respectivo recibo
eleitoral; (grifei de novo).
[...]

Assim, caso eu queira ajudar em uma campanha eleitoral eu posso doar dinheiro, mas posso, também, trabalhar gratuitamente, emprestar meu carro, o muro da minha casa, etc. Tanto o trabalho, quanto o uso do carro ou muro devem aparecer na prestação de contas do candidato. Como? Com um valor estimado em dinheiro pelos preços praticados no mercado.

A reportagem do jornal O Tempo afirma que o deputado Eros Biondini recebeu três depósitos do senhor Vinícius Melo Mansur, cunhado do Deputado, falecido no dia 12/08/2010, três dias antes do primeiro "depósito". Trata-se, claramente, de um erro!!!

Durante toda a campanha o carro do Vinícius foi utilizado pelo deputado ou por seus cabos eleitorais em viagens de campanha pelo interior de Minas e, como dito acima, esse "empréstimo" precisava ser declarado em valor estimado.

Segue, abaixo, o quadro da Prestação de Contas do Deputado, facilmente encontrada no site do TRE-MG:


Fonte TRE-MG

Reparem que, ao lado da "doação" do Vinícius, aparece a palavra "ESTIMADO". Diferentemente, por exemplo, dos valores doados pela Empresa Salum Construções Ltda, que efetuou a doação através de transferência eletrônica. Se tivesse ocorrido depósito, como alega a reportagem, a palavra "Depósito em espécie" apareceria.

Cumpre informar que o Sr. Vinicius Melo Mansur foi casado com a Jussara, irmã do Deputado, em regime de Comunhão Universal dos bens, o que faz dela sucessora e, consequentemente, proprietária do veículo.

Prefiro acreditar que foi apenas um erro da jornalista, por não ter conhecimentos técnicos. Penso assim porque erros desse tipo são muito comuns. Ontem mesmo li em diversos lugares que o Supremo aprovou o casamento gay. Alguém acha que isso aconteceu?

Seja como for, espero ter esclarecido o ocorrido a todos os meus amigos. Estou à disposição para esclarecer as eventuais dúvida.

Espero que o jornal corrija o erro.

Postar um comentário